Home / Cinema / Crítica sobre o filme: Extraordinário

Crítica sobre o filme: Extraordinário

Ola, pessoas! Hoje, eu não quero fazer uma resenha, eu não quero dar spoiler, pois quero que vocês sintam o quão extraordinário esse filme é quando vocês o verem.

Desde que eu vi o trailer desse filme, eu fiquei contando os dias. Não somente porque eu sou fã da Julia Roberts, principalmente, depois de vê-la em “Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento (2000)” ou  mas porque em 2 minutos de trailer chorei demasiadamente!

Confiante de que seria um filme emocionante, eu me aventurei no cinema com uma amiga, já a avisando que muitas lágrimas iriam rolar.

  e feito, chorei do início ao fim! (Piadinha horrível, mas você riu que eu sei).

O filme retrata a história de um menino que nasceu com uma doença rara que teve sua educação básica em casa, ensinado por sua mãe e, após diversas cirurgias plásticas, a família decide que é o momento dele enfrentar o mundo, começando pela escola.

Eu sou uma pessoa, facilmente, encantada por personagens inteligentes e esse menino me ganhou de um jeito sem igual! Com a resposta sempre na ponta da língua e extremamente inteligente.

As falas de Auggie Pullman (Jacob Tremblay) chegam a ter uma dose certa de humor ácido, típico de pessoas com raciocínio rápido.

Nós sabemos o quanto a escola pode ser cruel com as crianças, principalmente aquelas que apresentam qualquer característica “fora do padrão” e quebrar uma barreira dessas é extremamente complicada, pois é difícil encontrar abertura para que as pessoas possam realmente te conhecer sem te julgar pelo o que elas vêem.

Quem nunca passou por qualquer tipo de bullying? Quem nunca…

Pausa para falarmos o quão surpreendente ficou a caracterização do personagem…

Eu achei que o filme possui um grau de sensibilidade incrível, tanto que não tratou somente o elemento Auggie na família, como encontrou espaço para falar da irmã dele, Olivia Pullman.

Crescer em uma família dedicada ao irmão, fez com que Olivia sempre passasse pela criança mais compreensiva do mundo, entretanto, isso não é verdade.

Olivia também precisava da atenção e carinho dos pais. A relação entre ela e o irmão é retratada de forma muito linda, pois além de ter esse “espírito protetor”, ela se demonstra ser o ponto de equilíbrio para Auggie, tratando-o com carinho, igualdade e de forma realista.

O filme explora o momento de vida de Olivia, quando se sente sozinha, pois sua melhor amiga, simplesmente a ignora depois de retornar de férias, surpreendendo o público quando é revelada a forma como ela se tornou popular.

A trama não foi fácil para Auggie, mas ele conseguiu mostrar para o que veio.

Em meio a risos e lágrimas, o que tenho a dizer é que esse foi o melhor filme de 2017, na minha humilde opinião, e se tornou um dos meus filmes preferidos!

Esse é o tipo de filme que coloquei na minha lista de “Filmes que quero ver com meus filhos” porque ele passa uma lição de vida muito forte!

Se posso descrever esse filme em duas palavras, são: Inteligente e sensível.

Uma história que começa em drama, termina de forma gloriosa! É o tipo de filme a ser aplaudido de pé, assim como nosso personagem Auggie.

Esse filme não poderia ter outro título senão “Extraordinário”…

Assim encerro deixando 5 motivos para assistir “Extraordinário”:

1 – Emocionante (leve os lenços);

2 – Aprendizado (saber lidar com as diferenças);

3 – Inteligente (esse menino é demais);

4 – Inovador (o desenvolvimento do personagem é diferente de tudo que já vi);

5 – Incrível, do início ao fim!

Sobre Pandora

Advogada, viciada em filmes e séries, principalmente, no gênero de suspense e terror. Apaixonada por cultura oriental, animes e doramas! Não dispensa uma boa maratona de série e um episódio de qualquer competição culinária.

Veja também

Estreias no Cinema da Semana- 02/03/2017

Estreias no Cinema 02/03/2017 Olá leitores! Mais uma semana caminhando para o fim e com …

Comentários no Facebook